Finalmente a tão esperada dragagem do Itajaí-Açu | Revista Portuária

A tão esperada dragagem dos acessos aquaviários do Porto de Itajaí e demais terminais que compõem o Complexo Portuário do Itajaí está prestes a ser iniciada. O equipamento que executará os serviços, a draga Xin Hai Niu, já está no Brasil, em processo de nacionalização. Isso é visto pela comunidade portuária como um grande avanço, porque desde as fortes chuvas registradas em Santa Catarina em 2015, o rio Itajaí-Açu sofre com o assoreamento e a perda de profundidade.

O contrato entre a União e a empresa DTA Engenharia, vencedora do processo licitatório, foi assinado em janeiro. O investimento do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil será de R$ 38,8 milhões e as obras deveriam ter iniciado em fevereiro, para serem concluídas em julho. A dragagem será executada nos canais interno e externo e serão retirados do fundo do canal 4 milhões de metros cúbicos de sedimentos.

Prejuízos sem precedentes: O assoreamento ocorrido ainda no segundo semestre de 2015 reduziu o calado (distância entre o fundo e a quilha do navio) de 12 para 10,5 metros, o que limitou a movimentação de cargas, já que os navios não poderiam entrar no canal muito pesados. De acordo com os cálculos do superintendente do Porto de Itajaí, engenheiro Marcelo Werner Salles, essa redução representou a perda potencial de 1,6 mil contêineres por navio.

Se somadas as perdas decorrentes nessa redução de volumes ocorridas nos últimos meses de 2015 e no ano passado, o montante chega a R$ 1,8 bilhões. Valor que estará próximo dos R$ 3 milhões em outubro, quando as obras forem concluídas.

Fonte: Revista Portuária

%d blogueiros gostam disto: