Área de 47 mil km² será destinada a atividades de mineração | Portal Brasil

por Portal Brasil  / foto Arquivo/Agência Brasil 

Região entre o Pará e o Amapá será beneficiada com a pesquisa e a produção de bens minerais. Medida deve combater garimpos ilegais.

23/08/2017 – Com a extinção da Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca) pelo governo federal, a iniciativa privada poderá utilizar a área de 47 mil quilômetros quadrados para a atividades de mineração. A região fica entre os estados do Pará e do Amapá e deve ser beneficiada com a produção de bens minerais, que é regulada pelo Estado.

Novos investimentos devem ser atraídos ao País, proporcionando a geração de emprego e renda, com a medida. Assim como a ampliação da oferta de minerais no mercado, além de combater os garimpos ilegais.

A permissão para o desenvolvimento de pesquisa e lavra mineral se aplica apenas às áreas onde não haja restrições de outra natureza, como proteção da vegetação nativa, unidades de conservação, terras indígenas e áreas em faixas de fronteira.

Renca

A Renca é uma área de 46.450 km², criada em 1984, e bloqueada aos investidores privados. No decreto da criação da Renca foi instituído que a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) teria a exclusividade para conduzir os trabalhos de pesquisa geológica para determinar e avaliar as ocorrências de cobre e minerais associados. As descobertas deveriam ser negociadas com empresas de mineração, para fins de viabilizar as atividades de extração.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério de Minas e Energia

Fonte: Área de 47 mil km² será destinada a atividades de mineração — Portal Brasil

%d blogueiros gostam disto: